Estado

29/07/2016 00:00

Delegados da PF param em protesto por reajuste

Cerca de 30 delegados da Polícia Federal em Mato Grosso vão aderir ao indicativo de greve, com realização de atos públicos a partir desta sexta-feira (29), na sede da Superintendência, em Cuiabá e nas quatro delegacias instaladas nas cidades de Cáceres, Sinop, Barra do Garças e Rondonópolis.

O delegado Cristiano Nascimento dos Santos, tesoureiro da Diretoria Regional de Mato Grosso da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), afirma que os protestos e indicativo de paralisação só buscam pressionar o Governo Federal para cumprir acordo firmado anteriormente, com a categoria, para recomposição das perdas salariais.

Os delegados aguardam do Governo Federal o envio ao Congresso Nacional, do Projeto de Lei que trata da recomposição das perdas inflacionárias relativas ao período de 01/2012 a 04/2016.

A decisão foi tomada pelos Delegados Federais em assembleia realizada na última semana, depois que o Executivo não cumpriu acordo firmado em maio deste.

O primeiro ato público está marcado para a próxima sexta-feira (29), nas unidades da Polícia Federal em todos os Estados e no Distrito Federal, e o segundo acontecerá na manhã de terça-feira (02) nos aeroportos de todo o país.

O delegado de Mato Grosso assegura que a categoria vai participar dos atos, conforme decisão anunciada pela ADPF, inclusive com faixas no Aeroporto Internacional Marechal Rondon.

Os delegados se sentem desprestigiados, em relação a outras carreiras jurídicas, que atuam no combate a corrupção e crime organizado no País, que foram prestigiadas, enquanto os delegados são relegados a terceiro ou quarto escalão.

Delegados lutam para não ter a classe enfraquecida e intimidada, na luta contra o crime organizado e até políticos poderosos que são alvos de investigações contra a corrupção em todo País.

Cita peculiariade da situação geográfica de Mato Grosso, que com sua ampla fronteira seca com território Boliviano luta no combate ao tráfico de entorpecentes. Lembra que a cocaína boliviana que passa pelo Estado, segue para diversos estados da federação e impacta no tráfico em todas elas.

A ADPF encaminhará, na tarde desta quarta-feira (27), ofícios ao diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, ao ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e ao ministro da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, comunicando a paralisação da categoria.

Ainda não está descartada a paralisação, caso o governo federal não encaminhe ao Congresso Nacional, até o dia 1º de agosto de 2016 do Projeto de Lei relativo ao acordo.

Caso não haja avanços por parte do Governo sobre o acordo, será convocada Assembleia Geral Extraordinária para as 15h do dia 2 de agosto, a fim de que a categoria delibere sobre a greve, que seria a primeira dos delegados federais na história da instituição.


Rádio Tucunaré

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Cadernos

Sobre

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo