Endrick marca, Palmeiras empata com o Cruzeiro no Mineirão e é campeão brasileiro pela 12ª vez

O Palmeiras é campeão do Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira, a equipe comandada pelo técnico Abel Ferreira enfrentou o Cruzeiro, no Mineirão, em situação extremamente confortável para confirmar o título, e não decepcionou seus torcedores ao empatar em 1 a 1 em Belo Horizonte. Endrick, principal nome da campanha alviverde, abriu o placar no primeiro tempo. Nikão deixou tudo igual para os donos da casa na etapa complementar.

Maior campeão do Brasileirão, com 12 títulos, o Verdão também é o recordista de títulos nacionais, com 18 taças no total. E, pelo andar da carruagem, o clube não deve parar por aqui.

A expectativa do título antes da partida era óbvia. Com oito gols de saldo a mais que o Atlético-MG, vice-líder, o Palmeiras só perderia o título brasileiro por uma tragédia. Além de vencer o Bahia por um placar elástico, o Galo teria de torcer para que seu maior rival, o Cruzeiro, goleasse o Verdão a ponto de essa diferença de oito gols desaparecer, o que não aconteceu.

O Flamengo também chegou para essa última rodada do Brasileirão com chance de título, mas em uma situação ainda mais desfavorável, já que a diferença de saldo para o Palmeiras era de nada mais, nada menos que 16 gols.

Esse é o nono título da “Era Abel Ferreira” no Palmeiras. O técnico português, especulado no Al-Sadd, do Catar, ainda não definiu seu futuro, mas tem contrato com o Verdão até o fim de 2024. Resta saber se ele encerrará seu ciclo no clube com o dodecacampeonato nacional ou permanecerá em busca de mais conquistas na próxima temporada.

O Palmeiras começou o jogo ligado e querendo terminar a história campanha com mais um resultado positivo. Por isso, logo aos oito minutos o goleiro Rafael Cabral já teve de trabalhar. Endrick recebeu de Zé Rafael, dominou e bateu firme de dentro da área, parando no goleiro cruzeirense. Pouco depois foi a vez de os donos da casa responderem com Arthur Gomes, que fez boa jogada individual e resolveu experimentar de média distância, mandando no cantinho e obrigando Weverton a fazer ótima defesa.

Aos 15 minutos, o técnico Paulo Autuori foi obrigado a promover a primeira mudança em sua equipe. Ian Luccas se lesionou e teve de ser substituído por Fernando Henrique. Mas, apenas da alteração, foi o Palmeiras quem continuou chegando com mais perigo. Pouco depois foi a vez de Breno Lopes receber com liberdade em contra-ataque e dar passe açucarado para Endrick, que novamente parou em Rafael Cabral.

Mas, aos 20, não teve jeito. Em sua terceira oportunidade cara a cara com o goleiro rival, Endrick não desperdiçou. O camisa 9 aproveitou o vacilo de Lucas Silva na saída de bola, desarmando o volante e batendo rapidamente, mas Rafael Cabral fez a defesa. No rebote, porém, ele conseguiu estufar as redes, colocando o Palmeiras à frente no placar.

Depois disso o Cruzeiro cresceu e teve boas chances para empatar a partida, mas faltou sorte. Bruno Rodrigues finalizou de bicicleta, de dentro da área, aos 24 minutos, exigindo grande defesa de Weverton. Na sequência, Matheus Pereira quase marcou um gol olímpico ao efetuar a cobrança fechada.

Mas, foi Fernando Henrique quem desperdiçou a melhor chance dos donos da casa na etapa inicial. Poucos minutos antes do intervalo, Matheus Pereira chegou na linha de fundo pela esquerda e cruzou rasteiro para o volante completar de carrinho, mas mandou por cima do travessão, levando a torcida à loucura.

O Cruzeiro voltou para o segundo tempo determinado a empatar a partida e quase conseguiu logo aos oito minutos, quando Arthur Gomes recebeu lançamento de Matheus Pereira e, de costas para o gol, cabeceou, mas mandou para fora, mandando próximo ao travessão do goleiro Weverton.

Adotando um ritmo mais cadenciado, até porque não havia necessidade de se expor, o Palmeiras foi “cozinhando” o jogo, mas também levou perigo à meta rival com Raphael Veiga, aos 21 minutos, quando fez boa jogada individual, iludindo a marcação, antes de bater forte, no canto, obrigando Rafael Cabral a fazer ótima defesa.

Pouco depois, o principal nome dessa campanha histórica do Verdão foi substituído. Endrick deu lugar a Flaco López e deixou o campo aplaudido pela torcida palmeirense que compareceu ao Mineirão.

Na reta final do segundo tempo o Cruzeiro voltou a pressionar mais e esteve próximo de estufar as redes com Robert, que bateu forte da entrada da área, tirando tinta da trave do goleiro Weverton.

E, de tanto insistir, o Cruzeiro acabou premiado com o gol de empate já nos minutos finais da partida, mais precisamente aos 34 minutos, com Nikão. O camisa 10, que substituiu Lucas Silva, ficou com a sobra após cobrança de escanteio e bateu firme, sem chances para Weverton.

Mas, a vantagem do Palmeiras construída ao longo das últimas rodadas era tamanha, que o empate não foi suficiente para acabar com a festa dos visitantes no Mineirão. Pela 12ª vez em sua história, o Verdão faturou o título do Campeonato Brasileiro, o nono da “Era Abel Ferreira”.

Fonte: Gazeta Esportiva (foto: assessoria)

Parceiros e Clientes

Entre no grupo Rádio Tucunaré no Whatsapp e receba notícias em tempo real.
Feito com muito 💜 por go7.com.br

Usamos cookies em nosso site para fornecer uma experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas. Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com a utilização de TODOS os cookies. Leia nossa Política de Privacidade na íntegra.