Polícia divulga balanço de operação e confirma prisão de 50 acusados de estupros, feminicídios e outros crimes contra mulheres em MT

Foto: assessoria

A Polícia Civil divulgou hoje um balanço da operação Átria, deflagrada em todo o país, neste mês, com o objetivo de combater crimes de violência contra a mulher. Segundo o relatório, apenas em Mato Grosso, nas duas primeiras semanas de operação, foram presos 50 autores de crimes como tentativa de feminicídio, feminicídio, estupro, cárcere privado, descumprimento de medida protetiva.

A Operação Átria é realizada pelas Polícias Civis do país, sob coordenação Ministério da Justiça e Segurança Pública. Além do combate à violência contra a mulher, por meio da apuração de denúncias, instauração de inquéritos policiais, atendimentos às vítimas e cumprimento de mandados de prisão, também são promovidas ações educativas, como palestras, orientações e cursos.

As equipes das Delegacias Especializadas de Defesa da Mulher e Núcleos da Mulher reuniram esforços para levar informação e esclarecimento à população em forma de panfletagem, entrevistas na imprensa, palestras, capacitações e rodas de conversa.

No total, 16 cidades do estado receberão até o fim deste mês palestras orientativas, entre elas Brasnorte, Barra do Bugres, Rosário Oeste, Nossa Senhora do Livramento e São José do Rio Claro, onde já foram realizadas as ações.

Em Rondonópolis, a Delegacia de Defesa da Mulher deflagrou uma força-tarefa com apoio de policiais femininas de outras delegacias da cidade. Uma das ações incluiu um dia de atendimentos concentradas na base comunitária da Vila Operária.

“Intensificamos o cumprimento de mandados de prisões temporária e preventivas, além do apoio às vítimas na retirada de pertences e fiscalização de cumprimento de medidas protetivas. Além desse trabalho repressivo, estamos promovendo encontros, palestras, rodas de conversa e levando esclarecimentos e orientações à população sobre a legislação de trata desses crimes, os canais de denúncias, o papel da Polícia Civil e dos órgãos integrados”, esclareceu a delegada Mariell Antonini, coordenadora da operação em Mato Grosso.

Em Cuiabá, assistentes sociais que atuam na Rede de Proteção participaram de palestras sobre o fluxo de atendimento na Delegacia da Mulher e o acolhimento psicossocial.

Uma das prisões realizadas pela Polícia Civil ocorreu em Rondonópolis, onde o suspeito foi detido em flagrante após cometer os crimes de lesão corporal, injúria e ameaça. Outro detido, em cumprimento a mandado judicial, responde pelos crimes de lesão qualificada e cárcere privado contra a ex-companheira.

Em Sinop, a Delegacia da Mulher prendeu na última semana um homem de 32 anos que abusou sexualmente da própria filha durante anos. Ele ainda obrigou a vítima a ingerir medicamento abortivo após a adolescente testar positivo para gravidez.

Em Várzea Grande, um suspeito de 29 anos queria saber o porquê da ex-companheira não querer reatar o relacionamento e invadiu a casa da vítima, no início de fevereiro, descumprindo a medida protetiva que determinava o afastamento dele. A Delegacia da Mulher representou pela prisão, que foi cumprida nesta segunda-feira.

Até o fim deste mês, as unidades policiais atuam na busca de suspeitos e foragidos da Justiça pela prática de crimes de feminicídio, violência física, psicológica, patrimonial, moral e sexual.

Fonte: Redação Só Notícias (foto: assessoria)

Parceiros e Clientes

Entre no grupo Rádio Tucunaré no Whatsapp e receba notícias em tempo real.
Feito com muito 💜 por go7.com.br

Usamos cookies em nosso site para fornecer uma experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas. Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com a utilização de TODOS os cookies. Leia nossa Política de Privacidade na íntegra.