Conab Avalia Venda Direta de Arroz Importado ao Comércio Local para Equilibrar Mercado e Combater Especulação

Após críticas de produtores e vendedores de arroz, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) anunciou nesta quarta-feira (29) que está avaliando a possibilidade de venda direta do arroz importado ao comércio local.

Segundo Thiago dos Santos, diretor de Operações e Abastecimento da Conab, a decisão final sobre a modalidade de venda será tomada posteriormente, pois ainda estão trabalhando no leilão de importação. A medida provisória, publicada no dia 24, autoriza a Conab a importar 1 milhão de toneladas de arroz para abastecer o mercado interno e vendê-lo diretamente aos varejistas.

O ministro da Agricultura, Carlos Fávaro, afirmou que o arroz importado poderá chegar aos mercados em até 40 dias. Pelo edital da Conab, os fornecedores poderão entregar o arroz nos armazéns da Conab até 8 de setembro. O arroz será vendido a R$ 4 o quilo, com a logomarca do governo federal, em pacotes de 5 quilos por R$ 20 a unidade.

A Conab decidiu ampliar a distribuição do arroz importado para 21 estados, em vez dos sete inicialmente previstos, devido a pedidos de compradores de outras regiões. A estatal está considerando duas modalidades de venda: a venda direta e a venda por leilão, onde o produto é oferecido a agentes privados da cadeia produtiva.

Os produtores de arroz criticam a iniciativa, alegando que há produto suficiente no mercado interno e que a questão é logística. Eles temem que a venda direta a um preço inferior ao de mercado desestimule o plantio da nova safra e pressione as margens dos concorrentes. Além disso, questionam o prazo de 40 dias, pois acreditam que a situação de escoamento do arroz gaúcho estará normalizada nesse período.

O governo anunciou a ampliação do volume da primeira compra no exterior de 104 mil toneladas para 300 mil toneladas, com a intenção de equilibrar o mercado e garantir um preço adequado aos consumidores. A fixação do preço em R$ 4 por quilo foi baseada no preço médio do grão antes das inundações no Rio Grande do Sul, com um deságio de 20%.

 

Fonte: Rádio Tucunaré com informações da CNN

Parceiros e Clientes

Entre no grupo Rádio Tucunaré no Whatsapp e receba notícias em tempo real.
Feito com muito 💜 por go7.com.br

Usamos cookies em nosso site para fornecer uma experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas. Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com a utilização de TODOS os cookies. Leia nossa Política de Privacidade na íntegra.