Pastores explicam os requisitos para identificar um verdadeiro pastor Evangélico.

A Rádio Tucunaré recebeu perguntas de vários ouvintes, sobre os requisitos para se tornar um pastor evangélico reconhecido e como reconhecer um verdadeiro Pastor Evangélico.

A fim de esclarecer essas dúvidas, foram realizadas entrevistas com dois pastores de Juara: o Pastor Ronael Silva, da Igreja Batista e o Pastor Eudes Nascimento, da Igreja Assembleia de Deus Madureira. Ambos compartilharam suas perspectivas sobre os critérios e procedimentos necessários para a obtenção deste título.

O Pastor Ronael, atual Presidente do Conselho de Pastores de Juara, enfatizou que a Bíblia deve ser a principal referência para identificar um verdadeiro pastor. Ele citou diversas passagens bíblicas, destacando as características essenciais que um pastor deve possuir.

Segundo ele, conforme  Timóteo 1:9, um pastor deve ter um chamado claro de Deus. Além disso, baseado em 1 Timóteo 3, um pastor deve ter uma vida íntegra, sem escândalos ou acusações, ser marido de uma só mulher, exemplificando compromisso com a família, e demonstrar sobriedade e prudência, com abstinência de substâncias que alterem a sobriedade e prática do bom senso.

Outras características mencionadas incluem integridade e honestidade, hospitalidade e aptidão para ensinar, paciência e mansidão, desinteresse em ganhos ilícitos, liderança familiar exemplar e maturidade espiritual.

O Pastor Ronael destacou ainda a importância do estudo teológico e da cobertura espiritual, afirmando que um pastor deve fazer parte de uma denominação idônea e ser supervisionado por outros pastores.

O Pastor Eudes Nascimento, da Igreja Assembleia de Deus Madureira, corroborou a necessidade de um chamado divino para se tornar pastor, conforme Efésios 4:11. Ele detalhou o processo de reconhecimento pastoral em sua denominação, que inclui a conversão e o batismo, seguidos por uma caminhada de fé, onde o líder da igreja observa a trajetória do indivíduo.

A progressão ministerial começa como auxiliar e passa por cargos como diácono, presbítero e evangelista, até chegar ao pastorado, um processo que pode levar anos; no caso do Pastor Eudes, foram quinze anos de estudos contínuos.

A formação teológica é essencial, com seminários teológicos que incluem cursos básicos, médios e de bacharelado. Além disso, o candidato deve ter um bom testemunho dentro e fora da igreja, nome limpo nos órgãos de proteção ao crédito e ficha criminal limpa.

O Pastor Eudes também ressaltou a importância de uma liderança e cobertura espiritual, afirmando que ninguém pode se autointitular pastor sem a validação de um líder espiritual.

Ambos os pastores destacaram que, cada denominação pode ter suas particularidades no processo, mas as características bíblicas e a formação teológica são universais.

Além dos requisitos bíblicos e do processo de formação descritos pelos pastores, é importante entender a importância da certificação formal e do reconhecimento institucional para se tornar um pastor evangélico em Juara.

O Pastor Ronael, ao explicar o papel do Conselho de Pastores de Juara, destacou que, para ser reconhecido pelo conselho, é necessário que o pastor possua uma ordenação válida de uma convenção idônea e seja membro ativo de uma igreja local.

Segundo o Pastor Eudes Nascimento, na Igreja Assembleia de Deus Madureira, o processo de certificação envolve uma série de documentos e comprovantes que garantem a idoneidade do candidato.

Esses documentos incluem um bom testemunho de membros da igreja e da comunidade, uma ficha criminal limpa e a inexistência de restrições de crédito. Esse rigor no processo de seleção e certificação é fundamental para manter a integridade e a confiança na liderança pastoral.

Os pastores enfatizaram que o reconhecimento de um pastor vai além do título. É necessário um compromisso contínuo com a ética, a moralidade e a educação teológica.

O Pastor Ronael destacou que um pastor deve estar em constante aprendizado e desenvolvimento espiritual, sendo capaz de ensinar e guiar sua congregação com sabedoria e discernimento. Ele ressaltou que a formação teológica é uma ferramenta indispensável para a liderança pastoral, permitindo que o pastor domine a palavra de Deus e a transmita de forma eficaz.

Além disso, o Pastor Eudes mencionou que a liderança espiritual deve ser apoiada por uma comunidade de fé. O apoio e a supervisão de líderes mais experientes são cruciais para o desenvolvimento de um pastor.

Por fim, os pastores afirmaram que cada denominação tem suas particularidades no processo de formação pastoral, mas todas compartilham o objetivo comum de garantir que seus líderes sejam devidamente preparados e reconhecidos, tanto pela comunidade de fé quanto pela sociedade em geral.

A certificação formal, a formação teológica e o testemunho de vida são pilares essenciais para o reconhecimento de um pastor evangélico.

Com base nas entrevistas, fica claro que o título de pastor evangélico exige um profundo comprometimento com os princípios bíblicos, um processo rigoroso de formação e certificação, e uma vida dedicada ao serviço e à liderança espiritual.

Fonte: Rádio Tucunaré e Acesse Notícias

Parceiros e Clientes

Entre no grupo Rádio Tucunaré no Whatsapp e receba notícias em tempo real.
Feito com muito 💜 por go7.com.br

Usamos cookies em nosso site para fornecer uma experiência mais relevante, lembrando suas preferências e visitas repetidas. Ao clicar em “Aceitar”, você concorda com a utilização de TODOS os cookies. Leia nossa Política de Privacidade na íntegra.